Idoso morre após ser mantido em cárcere privado em Manhuaçu



Um idoso de 63 anos morreu, na sexta-feira (9), após ser mantido em cárcere privado em Manhuaçu.

Pedro José de Jesus, mais conhecido como “Pedro Vermelho”, faleceu em decorrência de um infarto. Ele havia sido mantido em cárcere privado por três dias numa residência no bairro Santa Terezinha, sendo liberado no final da tarde de quarta-feira (7).

Pedro chegou a ser atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Manhuaçu, onde recebeu atendimento médico e posteriormente foi ouvido pela polícia, que identificou e prendeu os autores.




Já na sexta-feira, o idoso teve complicações, vindo a falecer em sua residência.

De acordo com o laudo médico, a causa da morte de Pedro foi a falta de controle do diabetes, não tomando o medicamento no período em que ficou em cárcere privado.

O delegado Felipe Ornelas ratificou o auto de prisão em flagrante do casal acusado de tráfico de drogas e manter o idoso preso na residência.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a evolução do quadro do idoso à morte será acrescentado ao inquérito e remetido ao Ministério Público. “A morte foi por infarto decorrente da falta do medicamento por três dias durante o cárcere. Familiares já nos procuraram e atualizaram da situação”, disse.

O casal aguarda uma decisão da justiça recolhido no presídio de Manhuaçu.

Entenda o caso

Na quinta-feira (8), a Polícia Militar prendeu um casal suspeito de ter mantido em cárcere privado o idoso. Os autores também são suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas.

A PM foi acionada e em conversa com o aposentado ouviu o relato de que ele havia sido mantido preso na residência do casal por dois dias, sem água e sem comida.

De acordo com a versão passada pelo idoso, na segunda-feira, 05/03, ele esteve na residência dos autores para comprar drogas. Após usar o entorpecente, a vítima teria sido ameaçada de morte pelo autor, que estava armado com uma faca. O infrator exigiu que o aposentado fosse ao banco e retirasse o valor do benefício. A autora acompanhou o aposentado e após sacarem o dinheiro, a vítima foi obrigada a retornar para a casa dos autores, onde teve todo o dinheiro subtraído e depois foi preso no quarto, onde permaneceu acorrentado até na quarta-feira.

Ainda segundo relatos da vítima, uma mulher que o conhecia ficou sabendo que ele estava preso dentro do imóvel e após fazer um escândalo na rua e ameaçar chamar a PM, a vítima foi liberta.

O casal acusado confirmou que o aposentado esteve na casa deles e que eles consumiram drogas, mas entraram em contradição por diversas vezes na hora de explicar sobre a permanência do idoso no imóvel.

Em consulta ao sistema foi observado que o autor possui passagens pela Polícia por envolvimento em diversos crimes. Os policiais ainda encontraram materiais relacionados ao trafico de drogas, tais como balança de precisão, rolo de fita, medicamentos para serem misturados ao entorpecente, material para uso de crack, alem de duas buchas de maconha, pinos para embalar cocaína, entre outros. Também foram apreendidos aparelhos celulares, uma TV e duas bicicletas, que são produtos de receptação.

Os autores foram presos e conduzidos à delegacia com todo o material apreendido.

No momento da ação da PM havia mais um casal dentro do imóvel e por serem suspeitos de envolvimento com o tráfico também foram conduzidos à delegacia para prestarem esclarecimentos.

Fonte: Portal Caparaó

Últimas notícias em vídeo



Envie um comentário

 

Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o administrador do site pelo conteúdo do mesmo, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste site reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.