Home / Notícias / Variedades / Energisa deve elevar o capital em R$ 350 milhões e prevê aportes de R$ 1,6 bilhão em três anos

Energisa deve elevar o capital em R$ 350 milhões e prevê aportes de R$ 1,6 bilhão em três anos

Energisa

Para dar continuidade a seu agressivo plano de crescimento até 2015, o grupo mineiro Energisa vai realizar um aumento de capital no valor de R$ 350 milhões. A companhia pretende angariar recursos para concretizar investimentos de R$ 1,6 bilhão nos próximos três anos.




De acordo com o gerente de Relações com Investidores da Energisa, Carlos Aurélio Pimentel, a empresa pretende ampliar em quase cinco vezes a produção atual de energia, que está em cerca de 103 megawatts de potência instalada. “Vamos chegar em 2015 com 500 megawatts”, afirma.

O aumento de capital será feito no decorrer desses três anos e começa em março, conforme Pimentel. O valor recolhido será destinado principalmente aos investimentos de geração de energia renovável, em especial os parques eólicos instalados no Rio Grande do Norte. Os acionistas terão direito de preferência até 5 de abril. Logo após, haverá leilão das sobras, caso alguns acionistas não acompanhem o aumento de capital.

De R$ 1,6 bilhão, R$ 900 milhões serão destinados a projetos de geração de energia renovável e R$ 700 milhões na rede de distribuição. Somente neste ano, a Energisa prevê que sejam investidos R$ 762 milhões, um aumeto de 13% em relação aos aportes realizados em 2012.




A companhia fechou 2012 com lucro de R$ 291,1 milhões, alta de 37,2% em relação ao resultado de 2011. Já a receita líquida do período cresceu 20,3%, atingindo R$ 2,919 bilhões, e o Ebitda ajustado avançou 15,7%, para R$ 684 milhões. A empresa terminou o ano com R$ 923 milhões em caixa, quase o dobro do valor registrado no fim do ano anterior. “Esse resultado foi impulsionado pela entrada em operação de algumas novas usinas”, diz Pimentel.

Capacidade – Este ano, a Energisa deverá alcançar 253 megawatts de potência instalada em função do início das operações dos cinco parques eólicos em construção no Rio Grande do Norte, que devem ser inaugurados no segundo semestre de 2013. O empreendimento, orçado em R$ 560 milhões, irá acrescentar 150 megawatts à rede de distribuição da companhia.




Já em Minas Gerais, foram iniciados os testes na pequena central hidrelétrica (PCH) Zé Tunim, em Guarani, na Zona da Mata. A usina recebe investimentos de R$ 65 milhões e terá capacidade instalada de 8 megawatts e sua operação comercial deverá ser iniciada ainda neste primeiro trimestre. A energia elétrica gerada será comercializada no mercado livre.

Com cinco distribuidoras no Brasil – Energisa Sergipe, Energisa Paraíba, Energisa Borborema, Energisa Minas Gerais e Energisa Nova Friburgo -, o grupo, sediado em Cataguases, na Zona da Mata, abrange 91.180 quilômetros quadrados de área coberta, atendendo a 2,4 milhões de consumidores e beneficiando 6,5 milhões de habitantes em 352 municípios. Em Minas, a companhia atende a 76 municípios da Zona da Mata, onde tem 385 mil consumidores.

Fonte: Diário do Comercio

Confira também

Bancos funcionam em horário especial

As agências bancárias abrem nesta sexta-feira (6) das 9h às 13h. O atendimento em horário …

Um comentário

  1. Cidadão Muriaeense

    Já que a energisa vai crescer tanto assim, porque não trocar a iluminação pública de Muriaé em certas avenidas como as da JK que são muito antigas e não iluminam quase nada por lâmpadas mais potentes e modernas? Fica a dica…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *