Personalidades de Muriaé – José Henrique Hastenreiter

José Hastenreiter retratado pelo artista muriaeense Ségio Campos
José Henrique Hastenreiter nasceu em Muriaé, em 27 de março de 1913. Era filho do casal Henrique Hastenreiter e Eloyna Catta-Preta Hastenreiter.

Passou a infância em Muriaé. Terminado seu curso primário, foi enviado por seus pais ao Seminário Menor de Mariana, onde permaneceu por menos de um ano. Regressando a Muriaé, cursou até a 4ª série ginasial, transferindo-se em seguida para Carangola para cursar a 5ª série. No Rio de Janeiro, formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais.

Ao completar 21 anos, pediu a mudança de seu nome a fim de homenagear seu falecido pai, por quem tinha grande admiração. Passou a chamar-se então, José Henrique Hastenreiter.

No Rio trabalhou no Banco do Brasil, foi Assistente de Administração e Assessor Jurídico no DASP e abriu escritório de advocacia. Seu primeiro matrimônio foi com Enide Gomes. Logo depois, mudou-se para o Estado de Mato Grosso, fixou residência em Corumbá, onde abriu um novo escritório de Advocacia. Além de advogado, foi professor de História da Civilização e Geografia, professor de Desenho, Diretor de Escola e Presidente da Cruzada Nacional de Educação. Colaborou com a Cruz Vermelha Brasileira no período da Segunda Guerra Mundial. Foi incorporado no Exército do B.C. e integrou o Rotary Club de Corumbá, dedicando-se ao seu trabalho de advocacia.

Foi nomeado Juiz de Paz e Cônsul Honorário da República da Bolívia e colaborador de diversos jornais. Ocupou também o cargo de Promotor Público na Comarca de Corumbá e de Juiz Preparador Eleitoral. Fundou o jornal “Atualidade”, outra homenagem que fez ao seu pai, que editara um jornal do mesmo nome em Muriaé. Foi membro da Loja Maçônica Estrela do Oriente, também em Corumbá. Em 1946 foi eleito Deputado Estadual pelo Partido Social Democrático (PSD), tendo sido reeleito. Integrou, assim, a 3ª Constituinte do Estado de Mato Grosso. Seu mandato foi até 1955. Nesta época funda o “Jornal do Povo” e colabora no jornal “O Social Democrata”.

Voltou para o Rio de Janeiro em 1955, onde ocupou cargo de chefia no Departamento Jurídico do Banco do Brasil, no qual já trabalhava desde 1951. Casou-se pela segunda vez, com Yvone de Souza. No Rio, foi diretor do jornal “Quinzena Judiciária” e sócio de várias Instituições. Depois de aposentar-se, transferiu-se para Muriaé com o objetivo de instalar aqui um Centro de Estudo e uma Casa de Cultura. Nasceu assim a “Fundação Henrique Hastenreiter”. Nesta Fundação, foi Diretor Executivo, Membro do Conselho Consultivo e Diretor da “Revista de Historiografia Muriaeense”, órgão oficial da Fundação.

Em 1982, foi agraciado com a Medalha da Independência, no grau Medalha de Honra pelo Governo do Estado de Minas Gerais.

Foi também Venerável da Loja Maçônica “Missionários da Luz” de Muriaé, alcançando o Grau Trinta e Três. Como maçom recebeu inúmeras condecorações.

“A inata vocação de servir do Dr. José Henrique aliada a uma incomum capacidade de fazer amigos, fizeram-no uma figura querida, respeitada e profundamente admirada por todos aqueles que tiveram o privilégio de com ele conviver. Soube, como poucos, honrar o nome de sua tradicional família. Sua vida inteiramente voltada à cultura e a filantropia é um exemplo de dedicação e amor ao próximo. Seu relevante trabalho de pesquisa da memória de seu povo, a projeção que sempre soube dar ao nome de sua querida Muriaé no cenário nacional, tornaram-no digno de ter o seu nome, para sempre, na galeria dos muriaeenses mais dignos e mais ilustres”. Palavras do então Prefeito Municipal, Paulo de Oliveira Carvalho em 1984, pedindo à Câmara Municipal a mudança do nome da Praça Lincoln dos Santos para Praça José Henrique Hastenreiter.

José Henrique Hastenreiter veio a falecer em sua terra natal, no dia 30 de outubro de 1983, com 70 anos.

Fonte: João Carlos Vargas e Flávia Alves Junqueira / Memorial Municipal


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo