Personalidades de Muriaé – Maria do Carmo Cerqueira de Castro

Maria do Carmo Cerqueira de Castro, mais conhecida como “Tia Filhinha”, nasceu no município de Muriaé, na Fazenda Águas Claras, no dia 11 de novembro de 1911.

Era filha do Coronel Antônio José Monteiro de Castro, grande homem da lavoura e proprietário de várias fazendas, sendo também homem público, e de Cândida Maria Cerqueira Castro, conhecida como “Sá” Cândida, mãe zelosa, carinhosa e admirável. Era a caçula de onze irmãos: Mário, Domiciano Neto, Francisca Paula, Pedro, Ana Maria, Paulo (falecido quando criança), Antônio José Júnior, Cândido José, Maria do Carmo (de mesmo nome, falecida quando era ainda muito nova) e Maria. Era, então, neta do ilustre Coronel Domiciano Antônio Monteiro de Castro, político dos mais respeitáveis e cidadão dos mais conceituados da agricultura e da sociedade muriaeense.

Durante muitos anos, ainda na juventude, cuidava dos pais doentes e se dedicava à religião. Era católica praticante servindo de exemplo para os sobrinhos, parentes e amigos mais novos.

Sempre preparou crianças para a Primeira Eucaristia, mantinha os altares da Matriz São Paulo sempre bem arrumados, ensaiava as crianças para a coroação a Nossa Senhora e era da “Irmandade das Filhas de Maria”. Além disso, estudou no Colégio Santa Marcelina onde se formou professora.

Em 1948, abriu sua escola: os filhos dos vizinhos, dos amigos e dos parentes foram seus primeiros alunos. A escola recebeu o nome de “Santa Terezinha”, devido a sua devoção a esta santa. Era uma escola muito simples, como tudo em sua vida. Aí, trabalhou com afinco e alegria até seus 80 anos de idade.

Sem interromper nenhum dia de aula em sua escola, começou a trabalhar também como professora pelo estado, começando sua carreira na Escola Estadual Ribeirão Vermelho, no distrito de Vermelho. Depois, foi transferida para a Escola Dom Delfim e, finalmente, para a Escola Estadual Silveira Brum, onde se aposentou no dia 22 de julho de 1993 como vice-diretora.

Por onde passava, era admirada por todos, pelo seu amor ao trabalho, pela fé em Deus e pelo carinho com as crianças.

Não se casou, mas, criou duas crianças – Maria do Carmo e Maria das Graças – sendo esta diretora da Escola Santa Terezinha por vários anos, dando continuidade a uma obra de tão grande valor.

Tia Filhinha faleceu no dia 19 de abril de 1998, aos 86 anos de idade, em Muriaé. Seu corpo foi velado e sepultado no Cemitério Municipal na presença de parentes, familiares e amigos.

Como justa homenagem, temos, em Muriaé, uma escola municipal que leva seu nome no bairro Joanópolis, atendendo da creche à educação infantil.

Fonte: João Carlos Vargas e Flávia Alves Junqueira / Memorial Municipal


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo